Palestra e exposições marcam o lançamento da Escola de Negócios e Tecnologia

A Entec foi lançada na noite de segunda-feira, 25. A escola envolve os cursos de Redes de Computadores, Administração, Ciências Contábeis e Jornalismo

A Escola de Negócios e Tecnologia do Iespes (Entec), que envolve diretamente os cursos de Redes de Computadores, Administração, Ciências Contábeis e Comunicação Social - Jornalismo, foi lançada oficialmente na noite de segunda-feira, 25. O evento contou com palestra, exposição de projetos inovadores dos cursos envolvidos e a Feira de Talentos, organizada pelo curso de Administração. A palestra com o tema  "Novas perspectivas para um profissional empreendedor na Amazônia" foi ministrada pelo professor Olavo das Neves, um dos idealizadores da Entec. O professor ressaltou a importância de os alunos pensarem "fora da caixinha", fortalecendo o espírito empreendedor, colocando em prática o que aprendem em sala de aula. 

 A Feira de Talentos, sob responsabilidade da professora Romilda Uchôa, contou com mostra de ações empreendedoras com a participação também de egressos do curso de Administração.

Além disto, alunos dos cursos envolvidos na Entec apresentaram projetos já consolidados com apoio dos professores e dos coordenadores, Rosa Rodrigues, Anderson Lima e Irley Araújo. Os projetos serão ampliados a partir da Escola de Negócios e Tecnologia. 

Alunos do curso de Jornalismo apresentaram o novo canal de podcast (soundcloud.com/radioiespes), criado com objetivo de divulgar  informações à comunidade e auxiliar na prática de radiojornalismo dos alunos. Uma exposição de fotografias produzidas durante a disciplina de Fotojornalismo retratou imagens do cotidiano do santareno. 

Alunos do curso de Redes de Computadores apresentaram dois projetos desenvolvidos no laboratório de informática do Iespes: a de uma casa controlada por aplicativo de celular, onde o usuário pode acender lâmpadas internas e externas, acionar alarme de terremoto e de incêndio; e a de uma inteligência artificial, criada com o objetivo de auxiliar, principalmente, pessoas com algum tipo de deficiência, em atividades como ligar aparelhos eletrodomésticos. 

"Vivemos em uma área mais distanciada dos centros do país e achamos que este tipo de projeto é coisa de filme, mas é algo simples, fácil de implementar e de baixo custo", explicou o aluno Alessandro Baségio, que faz parte do projeto.  

Alessandro ressaltou a importância do incentivo proporcionado pela Entec para projetos como este, do curso de Redes de Computadores. "Este tipo de iniciativa dá um incentivo, principalmente para os alunos buscarem realizar projetos. Nós achamos algo interessante e vamos atrás, com o incentivo. A Escola de Negócios ajuda muito os alunos", afirmou. 

Já pelo curso de Ciências Contábeis, foi apresentado o Núcleo de Apoio Contábil e Fiscal (NAF), que tem como objetivprestar assistência gratuita à população de baixa renda na resolução de pendências contábeis, fiscais e previdenciárias. 

O diretor do Iespes, Albino Portela, ressaltou que a Entec visa proporcionar novas experiências aos acadêmicos, integrando a teoria e a prática empreendedora, ao mesmo tempo em que oferta serviços gratuitos à comunidade, em diferentes áreas.

"O aluno vivencia a profissão real, para saber o que o mercado exige hoje. A Entec oportuniza ao aluno que ele trabalhe ainda na academia problemas reais e que eles consigam resolver estes problemas. Além disto, disponibiliza inúmeros serviços para a comunidade. Estamos muito felizes com a concretização deste sonho", destacou. 

O superintendente da Fundação Esperança Gabriel Geller  é um dos idealizadores da Escola e apresentou a proposta durante o lançamento. Ele explicou que, além dos projetos que já estão em andamento, há outros em vista para serem colocados em prática. 

"Há duas linhas gerais: uma é formar, que está mais ligada à formação teórica aplicada, tanto para nossos alunos, como para executivos, e educação continuada de pessoas que não estão na faculdade, mas que podem participar de cursos; e o outro é empreender, que tem a ver com a aplicação prática destes conhecimentos no mercado. Há uma série de instrumentos que vamos usar para desenvolver essas ideias. Os alunos, sob orientação de professores, vão prestar uma série de serviços para os setores público e privado, o mercado em geral", explicou.

Alguns dos outros projetos em vista são uma Agência de Talentos, para proporcionar profissionais qualificados às vagas do mercado de trabalho que abrirem em Santarém, a Empresa Junior do Iespes e eventos com a participação de profissionais de sucesso para compartilhar experiências, como ocorreu no lançamento da Entec, e outros como a Feira de Negócios e a ExpoIespes, que deve voltar a ser realizada ano que vem.  

Gabriel Geller ressaltou que a Entec está disposta a contribuir para a formação de um profissional de qualidade, ao mesmo tempo em que beneficiará diversas empresas. 

"A primeira Escola de Negócios e Tecnologia da região Oeste do Pará vem para aproximar a academia das empresas e setor público e para conseguir dar uma formação mais alinhada com as necessidades do perfil profissional da atualidade. Um profissional com competência de resolutividade, capacidade de empreender, inovar, entregar valor, em qualquer área do conhecimento em que venha atuar, ao mesmo tempo em que oferta uma série de serviços para a comunidade empresarial", disse. 

Além dos cursos envolvidos diretamente, a Escola deve envolver os demais cursos do Iespes em atividades posteriores.